Reserve já

#PartiuNordeste? Em parceria com a Unidas, o jornalista Tales Azzi dessa vez trouxe uma seleção de fotos feitas com drone e dicas de lazer no estado do Rio Grande do Norte. Confira:

Quem viaja para Natal não ganha apenas uma cidade para curtir, ganha todo o litoral do Rio Grande do Norte para aproveitar. Sim, porque Natal extrapola os limites de sua geografia ao servir de base para conhecer as outras praias potiguares que existem tanto ao norte quanto ao sul da capital. Com a vantagem de que, no Rio Grande do Norte, tudo fica perto. Em uma centena de quilômetros de Natal há dezenas de praias lindíssimas e que se podem conhecer em uma única viagem. Basta um carro alugado e pouco de espírito de aventura correndo nas veias.

Tanto é assim que a praia mais famosa de Natal, Genipabu, fica no município vizinho de Redinha. É lá que estão aquelas clássicas paisagens de dunas com dromedários passeando com os turistas e que fazem lembrar o deserto do Saara.

Dali, dá para esticar tranquilamente até as dunas e lagoas das belíssimas Pitangui e Jacumã. A primeira tem uma bela lagoa no meio das dunas que mais parece um oásis, com barracas que colocam redes dentro d´água para quem quiser relaxar e se refrescar ao mesmo tempo. Jacumã, por sua vez tem as dunas onde os bugues passeiam, “com ou sem emoção”, conforme o gosto do freguês.

Se subir um pouco mais, a 60 km de Natal, vai ouvir muito falar sobre uns tais parrachos. Os parrachos são uma enorme bancada de corais que existem a 6 km da costa, onde o mar volta a ficar raso e cheio de peixes. Os barcos levam até lá a partir da Praia de Maracajaú, sempre no horário da maré baixa, quando os arrecifes emergem e se pode mergulhar, com snorkel ou cilindro, no labirinto de corais lá em pleno alto-mar. Em terra, Maracajaú também tem belezas. A começar pela praia tranquilíssima, cheia de pescadores e um conjunto de dunas aos fundos do vilarejo, onde o pessoal vai de bugue para assistir ao pôr do sol.

A praia mais famosa do litoral norte potiguar, porém, é São Miguel do Gostoso, uma praia que faz jus ao nome que tem. Desde que os kitesurfistas chegaram por ali para em busca dos ventos fortes que sopram neste trecho da costa, o vilarejo se abriu para o turismo. A chegada do tricampeão mundial de windsurfe, Kauli Seadi, o Waterman, em 2012, acelerou ainda mais esse movimento. 

A cada ano surgem mais pousadas e restaurantes transados em Gostoso, que está cada dia mais falado. É a nova sensação da costa não só do Rio Grande do Norte, mas do Nordeste todo, com um réveillon pra lá de badalado. A praia em si não tem nada de especial comparado aos padrões potiguares. É longa, reta, com uma faixa larga de areia fofa e mar tranquilo, enfeitado com as velas coloridos das pranchas de kite. Uma boa alternativa é seguir a estrada de terra (em boas condições) na continuação da avenida principal da cidade, no sentido norte, e esticar 6km até a praia de Tourinhos, semideserta, com falésias e astral de paraíso não descoberto.

Já no litoral sul potiguar, todos os caminhos levam a Praia da Pipa, a 85km de Natal, seguindo pela BR-101. Pipa não é uma só praia, mas meia dúzia delas, todas em forma de meia-lua, emolduradas por falésias áridas e dramáticas. Para ir na praia é preciso sempre descer uma escadinha, ora de madeira ora escavada na própria falésia.

 

A rua principal do vilarejo, que cresceu bastante nos últimos anos, é chamada de Baía de Golfinhos. Há muitas opções de bons restaurantes e lojas de grifes famosas. Muito do comércio local está nas mãos dos estrangeiros que chegaram em Pipa há mais de uma década e cuidaram para que o lugar evoluísse de forma charmosa e bem cuidada. A culinária é surpreendente e há especialidades do mundo inteiro servidas nas mesas da vila: espanhola, italiana, francesa e argentina. Para quem curte praia e ainda gosta de sair à noite, Pipa é o lugar ideal. Os bares ficam animados e as badaladas na Boate Calangos varam as madrugadas, com o pessoal dançando até as oito da manhã, quando o sol já está alto no horizonte.

A Praia Central é a mais movimentada e desinteressante, com barracas simples e muitas mesinhas na areia. Bem melhor é a vizinha Baía dos Golfinhos, uma enseada enorme e selvagem, sem qualquer infra pois é área de proteção ambiental. Para o outro lado fica a Praia do Amor, que tem ondas fortes, poucos quiosques e é ainda mais vazia.

O ideal é caminhar por todas para tentar descobrir qual é a mais bonita, embora ainda não exista consenso sobre isso. Você precisará do carro, porém, para ir ao Recanto Ecológico, uma reserva ambiental no alto da falésia da Baía dos Golfinhos, que tem trilhas e levam a mirantes com vistas alucinantes. No pôr do sol, a tradição é ir até o Chapadão, que um mirante que existe no alto da falésia, entre a Praia do Amor e das Minas. Dá para ir de carro até lá. Quem vai à Praia da Pipa sempre volta com a certeza de que o litoral do Rio Grande do Norte é mesmo um show.

       

E tem Unidas no Rio Grande do Norte pra você conhecer todos esses lugares com todo conforto e mobilidade. Reserve seu carro com antecedência e aproveite.